Oficinas de Cururu e Siriri

Iniciamos na terça-feira dia 25 de Junho de 2013 em nossa Unidade Escolar, no histórico Distrito de Bonsucesso em parceria com o Bloco Carnavalesco da Rapadura uma oficina de música para aprender tocar os instrumentos do Siriri e do Cururu. Temos como parceiro o Professor Thomas Flaviano, que esta ministrando às aulas em forma de oficina, que está sendo realizada as terças e quintas.
Viola-de-Cocho é um instrumento musical encontrado no centro-oeste brasileiro nos estados de Mato Grosso e Mato Grosso do Sul. Recebe este nome por ser confeccionada em tronco de madeira inteiriço, esculpido no formato de uma viola e escavado na parte que corresponde à caixa de ressonância (corpo da viola). Esse instrumento é feito da mesma maneira como se faz um cocho, objeto lavrado em um tronco maciço de árvore usado para colocar alimentos para animais na zona rural.
É um instrumento de 5 cordas e seu comprimento varia de 58 cm a 78 cm e 10 cm a 11 cm de lateral. É o instrumento primordial das manifestações musicais e tradicionais mato-grossenses como o Cururu, o Siriri, a dança de São Gonçalo e o Boi-à-serra. Sua origem remonta a mais e 200 anos e evidencia-se que ela pertence ao ramo dos alaúdes europeus que foram trazidos pelos descobridores e jesuítas. A aproximação e comparação com os alaúdes é inevitável, mas a viola-de-cocho mato-grossense tem suas características próprias, através da interação às condições culturais e materiais locais.
As madeiras utilizadas na fabricação da viola-de-cocho são todas de extração regional e as mais utilizadas são: ximbuva, sarã e sarã-de-leite, figueira e cedro.
A viola-de-cocho possui um conjunto de 5 cordas e com exceção da quarta corda (canutilho o canutio) que corresponde a corda RÉ do violão de nylon, todas são de linha de pescar (nylon).
Instrumento utilizado no siriri, o mocho é uma espécie de banco de madeira e no assento é pregado um couro cru que é recortado e molhado para ser pregado sobre o banco. É percutido com duas baquetas (pedaço de madeira) no assento de couro.
Na falta do mocho usa-se a bruaca (saco ou mala de couro) ou mesmo um couro inteiro de boi enrolado.
O nome principal do instrumento é tamboril, no entanto, por causa do seu formato de assento, passou a se chamar “mocho”.
Instrumento de percussão feito de taquara (bambu). Seu tamanho varia de 40 cm a 70 cm de comprimento, tendo em cada extremidade um nó próprio da taquara. É todo trabalhado, tendo ranhuras no sentido contrário ao comprimento. A taquara sofre também de 3 a 4 rachaduras no sentido longitudinal dependendo do diâmetro deste; isto para que o som não se torne abafado.
Para percutir o som utiliza-se um pedaço de osso de costela bovina ou pedaço de madeira e com movimento de cima para baixo e vice-versa, friccionando sobre as rachaduras do bambu, se obtém o som do ganzá que é utilizado nas danças regionais, como o Cururu, Siriri, Boi-a-serra, dança de São Gonçalo e rasqueado.  Esses serão os instrumentos que nós iremos aprender a tocar para depois formarmos um grupo
TAMBORIL OU “MOCHO”
de Siriri e Cururu aqui em Bonsucesso.

Nosso objetivo é  que a Escola participe  do resgate cultural da  baixada  cuiabana, um patrimônio do povo de Mato Grosso, e pelo  desempenho e interesse que os  alunos  demonstraram no  manoseio dos  instrumentos o que era um desafio já  nos inspira  o gosto do sucesso.










GANZÁ




Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Projeto Hispano Hablante

Projeto " Xô Mosquito da Dengue"